Minha cor favorita é…
Postado em 26 de dezembro | Por Letícia Black 1 comentário

15 14Na nossa adolescência, a cor favorita é extramamente importante. Chega a definir amizades e tudo mais. Quando entrei na pré-adolescência, defini que a minha cor favorita era azul. Era o máximo de rebeldia que eu conseguia ter na época, gostar de uma “cor de menino”.

16Lá pros meus 15 anos, comecei a gostar de rock. Por algum tempo, mudei minha cor favorita para preto. E como uma boa rockeira adolescente, minha vida era preto e camisas de bandas. Bem dark mesmo. Porém, não o suficiente. Eu sempre gostei muito de cores e estava sempre disposta a colocar algo mais colorido. Pra quebrar ainda mais, tive catapora (sim) com essa idade e as marcas me fizeram usar maquiagem (que eu não gostava) e acabei por não usar maquiagem preta… Fui colocando cores e, no final do dia, eu era uma guria colorida com alguma coisa preta.

19Essa fase durou bem pouco. Com 17, eu voltei ao azul. Uma cor doce e meiga, completamente oposto ao meu comportamento da época. Eu era sem papas na língua e jogava muitas verdades na cara das pessoas – o que me metia em várias encrencas. Mas, de alguma forma, comecei a me acalmar logo depois… O que já devia ser um sintoma da depressão que foi diagnosticada dois anos depois, quando minha cor favorita foi mudada para roxo.

1718-117-217-118-216-118

Depois do tratamento e das mudanças que minha vida fez logo após isso, eu não conseguia escolher mais qual era a minha cor favorita: o doce azul ou o misterioso roxo? Qual eu era? Acabei começando a responder que era anil. Pra quem não sabe, o anil é um tom exatamente no meio do roxo e do azul, ao qual pequena parte da população consegue identificar (e eu coloquei na minha cabeça que eu conseguia. Hahaha)

20-1 20-2 20-3 20

Mas pra quê todas essas fotos, Leka? Isso é só pra aparecer mesmo. Eu sou muito bonita. Tenho que mostrar, ué.

Mas acontece que, na verdade, todos esses anos, estive me enganando e escondendo qual era a minha cor favorita. Acho que nem eu mesma sabia e houve uma época que eu tinha aversão à cor. Acho que tinha medo da força e que ela traz.

Minha cor favorita é o vermelho.

Acho que não é nenhuma novidade para os meus leitores, embora seja pra mim. Descobri ontem, quando estava vestida com uma blusa vermelha, me encarei no espelho e fiquei “nossa… Essa é mesmo minha cor”. Minhas escritas são sinceras ao extremo, mais do que eu mesma sou para mim, e vermelho me escapa toda vez.

Tem vermelho como cor de destaque em quase todas as minhas histórias. É alguma cena ou detalhe importante ou alguém que gosta muito de vermelho. Como eu nunca reparei?

Gente… Minha cor favorita é o vermelho!

Aff… Quem acha que vou ficar ruiva outra vez? hahahahaha

E pra completar, adivinhem: o novo extra de Jogando os Dados se chama “Vermelho”. Vem ler!

Extra Vermelho – Jogando os Dados


6467 / 73500 palavras. 9% escrito!

Esse é orgulhosamente o meu progresso em um dia de trabalho. Força time! <3

Sobre o Autor

Letícia Black tem 25 anos e é natural do Rio de Janeiro. Viciada em livros e séries, escreve histórias desde cedo e se diverte muito com elas. Sonserina, Judd, Lannister, tributa, erudita, gleek ou simplesmente Leka. Autora orgulhosa dos livros Contos de Uma Fada e Garota de Domingo.


CALOR DOS INFERNOS
Postado em 23 de dezembro | Por Letícia Black Comentários

Tem uma coisa que eu gosto de falar sobre. Não é bem um orgulho, mas sabe quando o lugar que você mora tem aquela coisinha que ninguém mais tem?

Pois é. Meu bairro é o bairro mais quente do Rio de Janeiro.

O nome, Bangu, vem do Tupi. Significa “cercado por morros”, o que a sabedoria popular transformou em “buraco quente“.

Bangu é um vale, cercado por morros, que segura o calor naquele pequeno espaço e corta qualquer tipo de vento fresco que venha de qualquer lugar.

Isso, é claro, significa que chegamos, facilmente, a temperaturas superiores a 40º graus. E 50º também. O oposto também serve, dizem que Bangu também é o bairro mais frio (dessa, eu duvido um pouco, mas nosso frio é bem chatinho também).

Então… Hoje fui fazer aquela entrevista de emprego que eu falei. Morrendo de calor, morta morta morta. Mas sobrevivi. Foram algumas horas fazendo uma prova e eu preciso confessar uma coisa…

Tinha que fazer uma redação de tema livre.

Eu abri o wattpad e copiei o prefácio de Toque de Recolher.

Que vocês me desculpem, mas não vou fazer a falsa modéstia: ele é muito bom. E que me descole o emprego, por favor!

Hoje eu comprei o presente do meu amigo oculto! E tenho certeza que ele/ela vai amar hahahahahaha

Depois disso, fiquei morgada na cama, morta por causa do calor.

A quem estou enganando?

Eu fiz a inteligencia de colocar Negligée, da Julianna Costa, no meu celular essa manhã. Pra ler nas horas vagas de entrevista. Comecei depois que terminei minha prova e não consegui parar até agora. Esse foi o resumo do meu dia.

Um dia eu descubro o que é que a Julianna tem que me faz devorar os livros dela mesmo que eu já tenha lido umas 3x e saiba as falas de cor.

Pois é.

Vou ficando por aqui com uma notícia A+

O capítulo 3 de Deserto está disponível interativo!

Fiquem com o meu coração <3

Beijos rosados :*

Leka

Sobre o Autor

Letícia Black tem 25 anos e é natural do Rio de Janeiro. Viciada em livros e séries, escreve histórias desde cedo e se diverte muito com elas. Sonserina, Judd, Lannister, tributa, erudita, gleek ou simplesmente Leka. Autora orgulhosa dos livros Contos de Uma Fada e Garota de Domingo.


Atualizações da semana!
Postado em 25 de julho | Por Letícia Black Comentários

Oi, gente, tudo bom?

Não tive uma semana muito ~oooh~, mas espero que a de vocês tenha sido sensacional! Tá tudo bem com vocês?

Se tiverem um tempinho, passem aqui pra me contar o que vocês acham de clichê. O que é clichê? O que vocês amam/odeiam em histórias clichês?

Com isso, vamos seguindo para as atualizações da semana:

WATTPAD INÉDITAS:
Toque de Recolher, capítulo 9
Amor&Sexo, capítulo 29

INTERATIVAS
Toque de Recolher, capítulos 7 a 9
Deserto, capítulo 1
Amor&Sexo, capítulos 19 a 29

WATTPAD REPOSTAGENS
Frutos do Pecado, capítulos 1 a 4
C.A.H., shorts 1 e 2 (a 3 entra hoje assim que eu terminar de revisar)
Preciosa (Acoustic Point of View), capítulos 1 a 3

Qualquer erro, por favor, me avisem ^^

Beijos rosados :*

Sobre o Autor

Letícia Black tem 25 anos e é natural do Rio de Janeiro. Viciada em livros e séries, escreve histórias desde cedo e se diverte muito com elas. Sonserina, Judd, Lannister, tributa, erudita, gleek ou simplesmente Leka. Autora orgulhosa dos livros Contos de Uma Fada e Garota de Domingo.