Li e Gostei: Espada de Vidro

Postado em 17 de julho | Por Letícia Black Comentários

Espada de Vidro

Resumo:

Se sou uma espada, sou uma espada de vidro, e já me sinto prestes a estilhaçar. O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar. Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.

Personagens:

  • Mare
  • Cal
  • Kilorn
  • Maven
  • Elara
  • Evangeline

 

Mare, Mareena ou a garota elétrica, é uma principal cheia de energia e sem perspectiva de futuro. Ela é retirada do convívio de seus familiares e de Kilorn, a quem ela deseja salvar dos horrores da guerra. Sua vidinha medíocre se encerra quando ela conhece Cal, príncipe de Norta e convocada a trabalhar em seu palácio. Lá, é submetida ao convívio dele e de seu (também sem perspectiva) irmão, Maven, além da temível rainha, Elara, a noiva de Cal, também temível, Evangeline e o Rei de Norta, que é bem dispensável e eu não me recordo o nome.

Pontos positivos:

A continuação dessa narrativa de distopia continua impecável e cheia de imprevisões. A demonstração dos sentimentos e a construção e desconstrução deles nos personagens é impressionante.

Pontos Negativos:

Meu coração foi quebrado em alguns momentos.

Opinião:

Como falar desse livro sem soltar spoilers?

Espero que, se chegou até aqui, você já tenha lido o livro 1 ou se conformado que vai descobrir coisas sobre ele.

Mas, se não leu, não siga em frente, por favor.

É, indubitavelmente, muito mais emocionante receber os tiros na cara quando se lê o livro.

Quando o rei morre da pior forma possível, Maven trai a todos com suas mentiras sob a influência da mãe. Ele assume o reino e nada sobre para Cal e Mare a não ser tramar contra ele junto da guarda escarlate.

Por isso, junto à guarda, procuram descobrir como lutar contra Maven para recuperarem o que foi perdido: seus corações.

Surpreendemente, descobrem que há outros vermelhos como Mare. E, da mesma forma, muito mais poderosos que os prateados. Com isso, saem em busca de salvá-los de Maven, que os caça para mandar uma mensagem a Mare.

Em resumo, a palavra desse livro é desconstrução.

Apesar de tudo que construímos, pensando e repensando no primeiro livro, nada sobra.

Uma vez que nada era como pensávamos, nada fica no lugar.

Da mesma forma que Mare não é uma mocinha, Cal não é o inimigo, Maven não é perdido, a guarda escarlate não é um grupo de rebeldes fazendo bagunça.

Tudo é remexido e, por isso, o tabuleiro muda completamente.Todas as vezes que acontece algo importante, você se vê ali no meio, sem saber exatamente o que está acontecendo.

É sufocante e delicioso, por isso é uma leitura completamente envolvente.

Titulo: Espada de Vidro (A rainha vermelha #2)
Autor: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Gênero: Distopia/Sci-fi
496 páginas
Compre aqui!
Início da leitura: 19/09/2017
Término da leitura: 20/09/2017
Nota: 10
Apreciação geral do livro: Capa bonita, interessante, difícil de largar, emocionante, queria mais.
Leia outras resenhas

Sobre o Autor

Letícia Black tem 25 anos e é natural do Rio de Janeiro. Viciada em livros e séries, escreve histórias desde cedo e se diverte muito com elas. Sonserina, Judd, Lannister, tributa, erudita, gleek ou simplesmente Leka. Autora orgulhosa dos livros Contos de Uma Fada e Garota de Domingo.




5 melhores leituras de Ficção científica e Fantasia

Postado em 18 de outubro | Por Letícia Black Comentários

Separei 5 livros e séries que mais gostei desses dois gêneros incríveis e vim aqui contar pra vocês porque alguns desses livros nem são tão conhecidos e vocês precisam muito iniciar a leitura deles agora mesmo!

1 – Crônicas Lunares

Eu sou completamente apaixonada por ficção científica. Não é incomum me ver enfiada em listas e listas procurando algo bom para ler. Quando esbarrei no primeiro livro da série, Cinder, eu tinha até gostado da sinopse, mas não tinha dado 10% do valor que ela merecia.

No geral, Crônicas Lunares faz uma releitura de contos de fadas clássicos. Personagens como Cinderela, Branca de Neve, Rapunzel e Chapeuzinho Vermelho transitam em uma ambientação futurística distópica. As quatro princesas dividem o protagonismo com um livro para cada uma, mas Cinder, a primeira, é disparada a mais importante.

Eu fiz uma resenha apaixonada de cada livro, por isso não vou me alongar muito aqui. Deixo só uma frase da minha resenha aqui para aguçar vocês:

Sem dúvidas, Cinder é a adaptação mais inteligente de um contos de fada que já li e estou ansiosa para ler as continuações.

Vocês podem conferir as resenhas aqui: 1, 2, 3 e 4.

2 – Trilogia do Reino

Já tem um tempo que li essa trilogia e, apesar de minha memória ruim, gostei tanto do livro que o inseri em Jogando os Dados com o Amor, fazendo Mila apostar com Talles que ele não conseguiria ler o primeiro lico (mas ele lê, adora e acaba deixando de fazer os trabalhos da faculdade para terminar de ler o restante da trilogia).

Do pouco que me lembro dessa obra, sei que gostei MUITO do segundo livro e que o personagem principal é um anti-herói. Há algumas tramas que são esperadas, sem muita surpresa, mas a maior parte do livro é algo impressionante e surpreendente.

A trama começa em O Falso Princípe com quatro órfãos competindo para quem se passará pelo filho do rei  para evitar uma Guerra Civil.

3 – Febre Negra

Essa é a minha série favorita desde que a li, há uns três anos. É comum eu me apegar a leituras que gostei muito, preferindo sempre a mais recente, mas tem estado no meu coração desde que eu li.

Em Febre Negra, eu vi o arco mais impressionante de amadurecimento de personagem; MacKayla, a principal, é extremamente imatura e irritante ao começo da saga, mas ela passa por tantos perrengues que amadurece pouco a pouco, virando um mulherão da P0rr4.

MacKayla acabou de perder a irmã, que deixou uma mensagem muito misteriosa para ela, então decide ir para a Irlanda para tentar saber o que aconteceu e acaba descobrindo coisas que ela jamais imaginou, como poderes secretos bem esquisitos.

4 – A Seleção

Minha única reclamação sobre a Seleção é por ter focado muito no romance e deixado passar batido algumas informações interessantes sobre o vasto mundo que foi criado para a série. Não que eu não goste livros que foquem no romance, mas eu ficava ansiosa para saber mais, mas lá estava mais um monte de capítulo sobre o Maxon com alguma selecionada.

O romance, em si, é bem interessante, com um background tão impressionante que me frustou por não saber mais. Apesar de ser, claramente, um livro para um público mais jovem, vale a leitura. É um livro não muito grande, altamente viciante e de fácil leitura.

5 – A rainha Vermelha

Em suma, sou apaixonada por distopia. Confesso, porém, que não percebi que era uma distopia até começar a ler. Isso quer dizer que o cenário caótico me fez prender a respiração de prazer e alegria.

Talvez estivesse esperando algo mais como um biopunk pela sinopse, embora não tivesse pensado muito sobre isso. Também devo confessar que comecei a ler pela capa e surpreendentemente recebi no colo um daqueles livros que nos tiram o fôlego.

O mundo em que me coloquei, dividido entre ricos com sangue prateados (com poderes como fogo, água, vento, controle de metais etc) e pobres com sangue vermelhos (sem poderes, por isso subjugados).

Só que Mare, uma vermelha, tem poderes e isso lhe deixa em muito mais perigo que o normal.

Bônus: Terra e Céu

Por que não falar um pouco sobre meu livro distópico, não?

Em Terra e Céu, o mundo foi devastado por uma guerra nuclear e após milênios, os seres humanos evoluíram para agregar à radioatividade em seu estilo de vida, embora isso continue matando-os jovens. Mas, mais que isso, há um grupo de seres extraterrestes, chefiados pelo Imperador do Universo, que quer dominar a Terra e aproveitar toda essa atmosfera radioativa para recarregar sua frota, além de destruir os recursos e escravizar o povo. Por centenas de anos, as vilas de Esmeralda são bombardeadas e destruídas pela frota do Imperador.

Lívia já até se acostumou com o horror, mas não se conforma. Desde que o amor de sua vida foi sequestrado por uma nave, seu único propósito é se juntar à resistência em Globo do Mar, mas as coisas não são tão simples quanto parecem…

Se interessou? Clique aqui para ler.

Gostou dessa listinha? Se quiser ver algum outro gênero, comente aqui qual e acompanhe o blog para saber mais <3

Sobre o Autor

Letícia Black tem 25 anos e é natural do Rio de Janeiro. Viciada em livros e séries, escreve histórias desde cedo e se diverte muito com elas. Sonserina, Judd, Lannister, tributa, erudita, gleek ou simplesmente Leka. Autora orgulhosa dos livros Contos de Uma Fada e Garota de Domingo.




[RESENHA] A Rainha Vermelha #001

Postado em 23 de janeiro | Por Letícia Black Comentários

A rainha vermelha

Resumo:

O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses. Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho? Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe – e Mare contra seu próprio coração.

Personagens:

  • Mare
  • Cal
  • Kilorn
  • Maven
  • Elara
  • Evangeline

 

Mare, Mareena ou a garota elétrica, é uma principal cheia de energia e sem perspectiva de futuro. Ela é retirada do convívio de seus familiares e de Kilorn, a quem ela deseja salvar dos horrores da guerra. Sua vidinha medíocre se encerra quando ela conhece Cal, príncipe de Norta e convocada a trabalhar em seu palácio. Lá, é submetida ao convívio dele e de seu (também sem perspectiva) irmão, Maven, além da temível rainha, Elara, a noiva de Cal, também temível, Evangeline e o Rei de Norta, que é bem dispensável e eu não me recordo o nome.

Pontos positivos:

Uma distopia com personagem feminina, com vários plottwist e personagens cativantes, sem que a gente consiga ver o caminho que a história leva.

Pontos Negativos:

A trama é densa, demanda atenção.

Opinião:

Em suma, sou apaixonada por distopia. Confesso, porém, que não percebi que era uma distopia até começar a ler. Isso quer dizer que o cenário caótico me fez prender a respiração de prazer e alegria.

Talvez estivesse esperando algo mais como um biopunk pela sinopse, embora não tivesse pensado muito sobre isso. Também devo confessar que comecei a ler pela capa e surpreendentemente recebi no colo um daqueles livros que nos tiram o fôlego.

O mundo em que me coloquei, dividido entre ricos com sangue prateados (com poderes como fogo, água, vento, controle de metais etc) e pobres com sangue vermelhos (sem poderes, por isso subjugados).

Mare é uma garota vermelha de 17 anos comum, como todas nós fomos. Ela não faz nada da vida, mas o tempo passa e as responsabilidades chegam. Assim sendo, ela é pega e jogada para os leões de qualquer jeito e tem que encarar tudo o que isso significa.

Já que o livro é uma distopia, essa parte da vida de Mare é bem mais cruel do que foi para todo mundo que passou por isso. Ela rouba para sobreviver e se diz ladra de profissão. Por não ter sido escolhida para ser aprendiz, certamente vai ser recrutada para a guerra em seu próximo aniversário.

A possibilidade de ser recrutada para a guerra não a assusta. Três de seus irmãos foram recrutados e ela não tem nenhuma perspectiva. Mas Kilorn, seu melhor amigo, é aprendiz de pescador e seu mestre acaba morrendo. Por isso, Kilorn não é mais aprendiz e é jogado na guerra, fazendo Mare se sentir em seu pior pesadelo.

Com isso, ela sai em busca de uma maneira de salvar Kilorn.

Assim que tudo dá errado, encontra um rico generoso e charmoso, para quem desabafa seu anseio de salvar Kilorn.

Logo após, Mare é convocada para Palacete do Sol para servir como criada. Por isso, precisa servir em um evento importante que não acontece há 20 anos: a escolha da noiva do príncipe.

O príncipe em questão é Cal, o rico generoso que a ajudou no dia anterior.

As candidatas a princesas precisam mostrar seus poderes e, então, uma demonstração dá errado, deixando Mare em perigo mortal. Ao acreditar que iria morrer, inesperadamente seu corpo reage da forma mais inacreditável possível: ela solta faíscas.

Incompreendida pelos prateados ao seu redor, Mare é feita de refém.

Uma vez que está nas garras dos tiranos, não tem escolha a não ser seguir as suas exigências. Com isso, acaba se entranhando em uma rede mentiras e traições com as quais ela tem que aprender a lidar.

Eu me peguei segurando a respiração com a leitura muitas, muitas vezes. Também, não é sempre que a gente encontra um livro com tantos topos e arcos, tantos momentos claros de reviravoltas e tantos sentimentos que esmagam nosso coração.

Enfim, para quem gosta de livros completos, com romance, aventura, poderes, lutas, intrigas e muita dor e sofrimento, aqui está a leitura certa.

Titulo: A rainha vermelha
Autor: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Gênero: Distopia/Sci-fi
422 páginas
Compre aqui!
Início da leitura: 18/09/2017
Término da leitura: 19/09/2017
Nota: 10
Apreciação geral do livro: Capa bonita, interessante, difícil de largar, bons diálogos, queria mais.
Leia outras resenhas

Sobre o Autor

Letícia Black tem 25 anos e é natural do Rio de Janeiro. Viciada em livros e séries, escreve histórias desde cedo e se diverte muito com elas. Sonserina, Judd, Lannister, tributa, erudita, gleek ou simplesmente Leka. Autora orgulhosa dos livros Contos de Uma Fada e Garota de Domingo.




Quinta da Indicação, por Maya.

Postado em 8 de outubro | Por Elle Dematte 1 comentário

Oi, gente!

 

Cheio de intrigas do começo ao fim, Acima da Fraqueza é aquele livro que vai te arrancar o fôlego e vai te fazer sentir vontade de devorar letra por letra a cada capítulo.

 

acima da fraqueza

 

Escrito por Carla Laurentino, o livro conta a história de Rowan Acwellen (Jofrey Langston) e Liberty Acwellen (Odeya Severin), dois irmão que perderam o direito ao trono após seu país sofrer um atentado causado por Elene Hartland, uma mulher sem escrúpulos e totalmente ambiciosa. Elene é mãe de Clement Hartland e este é filho bastardo do rei de Évora e irmão dos queridos personagens principais. Anos após a queda do trono, Rowan reaparece como conselheiro do reino de Évora e fará de tudo para reconquistar o trono. Já Liberty (que é mais conhecida como Odeya e que até então não sabe sobre seu sangue real pertencente aos Acwellen) dama de companhia da princesa Cordelia Ackerley, fará de tudo para não manchar o sobrenome dos Severin, já que está sendo cortejada pelo futuro rei de Márcano, Aharon Ackerley um rapaz que não mede esforços para conseguir o que quer.

Um livro surpreendente do começo ao fim, recheado de brigas, inveja, vingança e claro, o bom e velho amor. Vale a pena salvar na biblioteca do Wattpad e começar a ler agora mesmo.

 

Ps 1: Não entrei em detalhes sobre como os principais sobrevivem ao ataque, para não perder a graça e dar spoiler.

Ps 2: Os países são todos fictícios, os nomes são bem originais e diferentes e a história se passa em uma época em que a autora faz uma leve mistura da Idade Média e Renascimento.

Ps 3: O livro está finalizado e até o momento não há nenhuma informação sobre ser retirado da plataforma.

 

Beijo!

Sobre o Autor




No indicações, iremos selecionar os melhores livros, filmes, séries e o que mais for interessante para que vocês se divirtam com tudo o que é de bom!

Participação especial: Line Granger

23 Noites de Prazer, Julianna Costa
Sinopse: Nahia era uma garota tímida, insegura e insatisfeita com o seu trabalho em uma editora. Até conhecer, literalmente, o homem dos seus sonhos. Ao visitá-la durante as noites, Amadeo libertou seus desejos sexuais mais profundos e, desde então, ela teve as experiências mais sensuais, quentes e inusitadas que uma mulher poderia ter!
Essas aventuras ardentes a transformarão em uma mulher confiante e deslumbrante, pronta para desafiar todos ao seu redor para fazer a coisa certa e publicar o livro mais cobiçado do momento!

Compre em: http://www.saraiva.com.br/23-noites-de-prazer-6794669.html

Sobre o Autor

Letícia Black tem 25 anos e é natural do Rio de Janeiro. Viciada em livros e séries, escreve histórias desde cedo e se diverte muito com elas. Sonserina, Judd, Lannister, tributa, erudita, gleek ou simplesmente Leka. Autora orgulhosa dos livros Contos de Uma Fada e Garota de Domingo.