Porque eu amo o Scrivener
Postado em 16 de outubro | Por Letícia Black Comentários

Quem me conhece de longas datas, sabe que de uns tempos pra cá eu comecei a falar um blábláblá incansável sobre um programa de nome esquisito, o Scrivener.

Recebi indicação desse achado por outra autora, a Julianna Costa, e resolvi baixar a versão trial de 30 dias para testar e, bom, acontece que eu me apaixonei no primeiro dia de uso. Tive a mesma reação com ele que eu tive com Harry Potter. Sabe, quando estava lendo A Pedra Filosofal, eu virei para a minha avó e disse “Não sei como vou viver sem isso mais”. Lembro que ela me perguntou “E o que você vai fazer quando acabar?”; movi céus e terras pra ganhar os outros 3 livros que tinham disponíveis na época e quando acabou – no dia da estreia do último filme -, fiz uma tatuagem. Nunca tive que lidar com ficar sem Harry Potter. No caso do Scrivener, eu comprei a licença no terceiro dia de uso para nem correr o risco.

Acho que só a minha fixação por ele já diz pra vocês o quanto é maravilhoso. Só tenho uma notícia: o preço dele é em dolar. Quando comprei, o dolar ainda estava baixo, agora acho que ele é uma pequena facada de uns 150 golpinhos. Porém, na minha humilde opinião, vale a pena.

Pra tentar ilustrar, vou usar prints da net porque acabei de trocar de pc e só tenho um arquivo de scrivener aqui e ele tá bem pobrinho.

Sim, ele tem um quadro de ideias!!!! Não é tão legal quanto o da dica anterior, mas ele organiza capítulos e cenas de uma forma surreal. O Brainstorm fica mais fácil e toma forma rapidamente. Estão vendo essas cores na pontinha das fichas? Pois então, você pode colorir para dizer que estão acabadas, em andamento, a escrever, apenas no roteiro e etc. São muitas opções e ainda dá para criar as suas.

O Scrivener também tem a maior criação do universo: um gerador de nomes. Tem uns nomes gringos estranhos, mas você pode gerar sua propria lista e colocar lá. Escolhendo as opções, ele gera uma lista de nomes e sobrenomes aleatória e algum vai ter que encaixar naquele personagem terciário que precisa ser nomeado e você está sem paciencia para pensar em um legal.

Conseguem ver o menu? Tudo separado e organizado em pastas? Você pode escrever seus capítulos e cenas separadamente e depois… Compilar em um só arquivo, em vários formatos. Chega de 3 mil words, capítulos de A a Z em uma pasta.

E mais: ele faz backup automático. E isso é uma coisa muito linda porque é a cada pausa que seus dedinhos fazem.

Essa é a tela que eu uso para escrever, embora existam outras opções. No canto da esquerda, o menu com as cenas e capitulos organizados. No menu da direita, temos sinopse do capítulo/cena, a barrinha onde você seleciona o status do que está escrevendo (ligado com as cores que eu falei antes) e as anotações do capítulo na telinha amarela. Ainda tem, lá no final, uma contagem maravilhosa de palavras. Ainda dá para colocar um termômetro de meta que muda de cor conforme você vai se aproximando da meta, ele vai ficando verde.

Conseguem ver a organização? Eu não falei nem de metade das funções do programa, eu mexo nele há uns dois anos e ainda descubro umas coisinhas novas e apaixonantes a cada dia.

Recomendo que baixem com moderação porque o coração de vocês pode se apaixonar na primeira usada, tipo o meu.

Você encontra a versão trial e paga do Scrivener nesse site.

 


Sobre o Autor

Letícia Black tem 25 anos e é natural do Rio de Janeiro. Viciada em livros e séries, escreve histórias desde cedo e se diverte muito com elas. Sonserina, Judd, Lannister, tributa, erudita, gleek ou simplesmente Leka. Autora orgulhosa dos livros Contos de Uma Fada e Garota de Domingo.



Nenhum comentário em “Porque eu amo o Scrivener”