Sua admiradora secreta (mas não tanto assim)

Postado em 13 de julho | Por Letícia Black Comentários

A gente foi assim, como brisa e vendaval, como dois lados da moeda, como rio e mar. Não naturalmente opostos, não facilmente complementares, mas tão diferentes que nada poderia impedir a catástrofe que veio a seguir.
Você foi minha Nêmesis, minha catarse, inegavelmente ruim e estupendamente bom.
Não havia nada em você que não fosse digno da minha atenção; a não ser talvez a sua maneira irritante de encontrar defeito em tudo, até em si mesmo.
Era algo que tinha escondido em seus olhos, naquela profundeza escura de mistérios que me envolvia por inteiro – fui arrastada, tentei nadar para longe mas me afundei, afundei, afundei…
E no meio do turbilhão das lágrimas que derramei, cheguei na costa da solidão.
Dos mares que naveguei por nós, hoje apenas encaro o horizonte da saudade.

Nenhum comentário em “Sua admiradora secreta (mas não tanto assim)”