Um buraco negro chamado internet
Postado em 22 de outubro | Por Letícia Black Comentários

Uma vez, em um evento, um rapaz me perguntou como eu fazia para me concentrar e escrever. Parece bobo, olhando assim, mas é uma questão que assola os escritores da minha geração e da que vem depois da nossa por um motivo muito simples: nós somos nativos de internet. Não conhecemos um mundo sem internet e é como se ela fosse parte do que a gente é.

Parece até um roteiro de um livro de ficção científica e na capa vocês podem usar aquela foto do Zuckerberg passando pela multidão enquanto a galera usava aqueles óculos e não o viam.

 

 

assustador.

A resposta que eu dei para ele pode parecer um pouco grosseira, mas é a maior realidade que eu poderia colocar aqui: desliga seu modem, esconde seu celular, senta na cadeirinha e escreva.

90% das pessoas que sofrem de bloqueio e procrastinação só estão distraídas com outras coisas (internet) e com um pouco de preguiça de colocar a mão na massa. É sério. Eu sou uma dessas pessoas.

Depois que eu descobri que era só desligar a minha internet e meu bloqueio sumia em um passe de mágica, eu parei de dizer que tinha bloqueio. Eu não tenho bloqueio, eu tenho é falta de vergonha na cara mesmo.

Vocês já perceberam que as vezes a gente se sabota? Que a gente tem a porcaria de uma prova amanhã, mas fica até 3 da manhã batendo papo com o crush sem motivo nenhum? Pois bem, eu faço isso também. Eu quero escrever, sinto necessidade de escrever, vontade e até estou disposta, mas aí rola aquele feed do facebook… Hm… Acabou. Foi aí que eu comecei a procurar programas de produtividade e foco.

Esbarrei com uma criaturinha chamada Freedom (pensa em um nome irônico). No mesmo site, você também encontra outras ferramentas bem legais com intuito parecido. Ele é pago, são 10 obamas e tem uma pequena versão trial para você testar.

Pois bem, o Freedom é uma coisa… Bom, você vai amá-lo e odiá-lo. Ele vai te ajudar de verdade a focar no seu livro, no seu tcc. É sério. Ele te deixa sem internet, totalmente entediado com um computador. Foi assim que eu zerei Plantas Vs. Zumbis. HAHAHAHAHAHA

Bom, brincadeiras a parte, ele me ajuda a manter o foco. Costumo programá-lo por um período de alguns minutos ou horas e não adianta o que você faça, ele não vai devolver a internet. Já tentei até reiniciar o computador, fechar ele pelo gerenciador de arquivos: não volta. Se você simplesmente resolveu que vai escrever por 4 horas e programou ele para 4 horas, mas acabou seu gás com 2, senta e chora, neném. Isso aconteceu comigo.

Resolveu meu problema de foco e eu fiquei muito mais produtiva depois dele. Sabe quando me chamam de máquina de escrever? Esse é o meu segredo. Espero que ajude vocês também.

Beijos rosados :*


Sobre o Autor

Letícia Black tem 25 anos e é natural do Rio de Janeiro. Viciada em livros e séries, escreve histórias desde cedo e se diverte muito com elas. Sonserina, Judd, Lannister, tributa, erudita, gleek ou simplesmente Leka. Autora orgulhosa dos livros Contos de Uma Fada e Garota de Domingo.



Nenhum comentário em “Um buraco negro chamado internet”